O surto do COVID-19 causou um impacto muito grande na vida de todos. Sua chegada mudou completamente a maneira com que as pessoas levavam suas vidas.

Além disso, ao mesmo tempo que houve um aumento de busca por determinados setores, tiveram outros que não foram capazes de suportar as portas fechadas.

Durante esse período também houve um aumento no consumo de bebidas alcoólicas por parte da população nacional.

Portanto, confira algumas das consequências da pandemia no post abaixo:

Como o COVID-19 afetou a vida das pessoas?

Com a chegada do coronavírus, a vida de várias pessoas foi mudada drasticamente. De uma hora para outra, a população foi obrigada a ficar em casa e evitar o contato direto com os outros.

Desse modo, subitamente o povo brasileiro que é um povo conhecido por suas recepções calorosas com abraços e sorrisos foi obrigado a contentar-se com um aceno à distância e a cobrir o sorriso com uma máscara.

Além disso, houveram vários casos onde famílias foram impedidas de manter contato por não viverem sob o mesmo teto.

Durante esse período, vários amigos também foram afastados fisicamente, sendo obrigados a manterem contato apenas virtualmente.

Houve um grande baque na economia no período inicial da pandemia onde vários estabelecimentos, especialmente no ramo do comércio, foram obrigados a fecharem suas portas.

Isso fez com que os vários estabelecimentos fossem obrigados a reduzir a mão de obra e alguns dos pequenos fossem forçados a fechar suas portas por se tornarem insustentáveis, causando um grande aumento da desempregabilidade.

Juntamente com o desemprego, houve um grande aumento da inflação causado pela desvalorização do real, aumentando ainda mais o impacto da desempregabilidade.

O ramo da educação também foi grandemente impactado pelo impedimento dos alunos de estarem presentes fisicamente nas salas de aula.

Isso gerou a necessidade dos professores e alunos se adaptarem ao ensino EAD, fazendo com que os que não foram capazes de se ajustar ao novo modo de ensino ficassem prejudicados.

Impacto psicológico

Fora todos os problemas listados acima, a população ainda era constantemente assolada pelo medo do vírus.

Todo esse conjunto de problemas impactou fortemente o psicológico das pessoas, resultando em um grande aumento no número de casos de depressão e ansiedade.

Esse fato fez com que boa parte dos cidadãos procurassem alguma maneira de manter um equilíbrio mental aumentando a procura por profissionais da área, como psicólogos e psiquiatras.

Outra maneira que encontraram de buscar o equilíbrio foi por meio de exercícios e meditação.

Porém, grande parte das pessoas que foram negligentes quanto ao equilíbrio mental acabaram optando pelo consumo de bebidas alcoólicas.

Isso foi mostrado em uma pesquisa feita pelo IBRAFIG (Instituto Brasileiro fígado) que mostra que mais de 50% da população brasileira consome álcool regularmente e aproximadamente 20% disseram que seu consumo aumentou durante a pandemia.

O maior problema desse aumento do consumo foi que parte dos que consumiam frequentemente, tornaram-se dependentes do álcool.

Além disso, grande parte dos que estavam abandonando esse hábito, recaíram durante esse período de modo que voltassem à dependência.

Aumento do consumo de bebidas alcoólicas

O alto índice de desemprego e alta nos preços, era esperado que sua venda caísse, porém não foi exatamente o que aconteceu.

Isso levou a uma preocupação por parte da OMS, fazendo com que ela recomendasse aos países que limitassem a venda de bebidas alcoólicas devido a preocupação com o aumento da violência doméstica.

O maior motivo dessa recomendação foi o fato de o álcool deixar algumas pessoas violentas e pela população estar em isolamento social em casa, aumentando a probabilidade de casos de violência doméstica.

Além disso, o consumo de bebidas alcoólicas leva ao aumento ou desenvolvimento de casos de depressão e ansiedade.

Estudos também apontam que sua utilização enfraquece o sistema imunológico, deixando a pessoa mais vulnerável a vírus e bactérias.

Outra preocupação dos profissionais da saúde é o aumento da dependência da substância originada pelo consumo excessivo.

Também é importante mencionar que esses são apenas parte dos riscos que aumentaram durante a pandemia.

Portanto, deve-se ter em mente que os riscos originais ainda estão presentes, como problemas no fígado, pâncreas, sistema circulatório, músculos, ossos e possibilidade de desenvolvimento de câncer.

Recomendações

O consumo de álcool não é uma atitude recomendável, porém, caso seja de sua vontade consumí-lo, é recomendado que seja feito com moderação.

Assim como muitas coisas na vida, álcool em excesso é danoso para o corpo humano, portanto é necessário controle.

Apesar do limite ser relativo para cada pessoa visto que a resistência ao álcool é diferente para cada pessoa, ainda há uma porção na qual não é recomendado passar.

Desse modo, o “limite diário” é de 45ml de destilados, 150ml de vinho e o equivalente a uma lata de cerveja. Além disso, não é recomendado evitar durante toda a semana e consumir em excesso por um dia.

Sendo assim, mesmo que estejamos passando por um momento atípico, não é recomendado exagerar na ingestão de bebidas alcoólicas para não comprometer sua saúde.

Similar Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.