O enxerto de gordura no glúteo é um dos procedimentos que buscam melhorar a aparência de quem não se sente satisfeito com o tamanho do bumbum.

Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre o procedimento, como funciona, indicações, benefícios, contraindicações e quanto custa:

O que é enxerto de gordura no glúteo?

O enxerto de gordura no glúteo, lipoenxertia de glúteo, gluteoplastia ou lipoescultura, é um procedimento complexo que visa o aumento das nádegas. É uma das opções de quem quer ganhar mais curvas e se sentir melhor com o próprio corpo.

O bumbum possui um importante papel na silhueta feminina, por isso, esse procedimento é procurado constantemente, com o intuito de melhorar a autoestima e a vida social.

É uma opção que aumenta as medidas do bumbum e que possui uma rápida recuperação em relação a implantes de prótese de silicone. Contudo, em sua execução, é necessário seguir uma série de medidas para que os resultados sejam satisfatórios, além da promoção de segurança.

Contudo, é importante considerar que mesmo que a recuperação seja um período curto, a técnica, quando feita de forma incorreta, pode trazer riscos.

enxerto de gordura nos glúteos

Como é feito o enxerto de gordura nos glúteos?

A lipoenxertia glútea é feita pelo aumento e remodelação do bumbum pelo uso de uma injeção de gordura da própria paciente, que anteriormente foi retirada por meio de lipoaspiração.

Normalmente, a gordura costuma ser removida principalmente dos flancos, gordura localizada na região lateral do quadril, já que a redução desse tecido adiposo também colabora destacando as nádegas.

Uma das principais limitações dessa cirurgia ocorre quando não há gordura suficiente para a realização da cirurgia.

Para que seja feito o procedimento, normalmente, é necessário a aplicação de uma anestesia peridural com sedação ou uma anestesia geral, que normalmente dura cerca de 2 horas.

Para a sucção da gordura são usadas cânulas finas associadas a um aparelho de vácuo. Dessa forma, o tecido irá passar por um tratamento, tal como uma espécie de lavagem para que o sangue seja separado da gordura, removendo assim as células danificadas. É em seguida que a gordura removida é enxertada no glúteo do (a) paciente.

Contudo, ao contrário do que muitas pessoas pensam, a gordura é injetada no quadrante superior das nádegas, e não na parte inferior do bumbum. Assim sendo, o bumbum ganha mais projeção e um contorno mais estético.

LEIA TAMBÉM: Para que serve o remédio dicloridrato de hidroxizina?

Enxerto de gordura no glúteo antes e depois, quais os cuidados?

É muito importante que o procedimento seja feito por um profissional capacitado e qualificado, uma vez que é o procedimento estético cirúrgico com o maior índice de mortalidade.

Dessa forma, o maior cuidado a ser tomado é a escolha do cirurgião, uma vez que se trata de um procedimento que envolve riscos. Logo, se certifique se o médico escolhido é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Levando isso em consideração, é necessário seguir corretamente as orientações passadas pelo dentista no pós-operatório:

  • Dormir de bruços;
  • Evitar posições que pressionem a área do enxerto;
  • Seguir o afastamento de ao menos 3 semanas do trabalho;
  • Uso de cinta – evitando que a gordura se desloque para outras regiões e diminuindo a reabsorção.

Vale considerar que existe uma proporção adequada para o aumento dos glúteos. Assim sendo, é importante que o cirurgião realize a avaliação prévia do local, indicando assim o aumento adequado dos glúteos de acordo com o cálculo e com o biotipo do paciente.

É muito importante que o paciente seja informado dos riscos específicos ao procedimento, com especial ênfase na embolia gordurosa, que é altamente fatal.

A grande maioria dos cuidados devem ser tomados pelo profissional, considerando a técnica correta e sempre revisando a anatomia vascular glútea. É muito importante que o profissional leve em consideração a embolia pulmonar em pacientes clinicamente instáveis.

Por fim, o pós-operatório costuma a ser marcado por sintomas como inchaço e manchas arroxeadas, que tendem a desaparecer com cerca de um mês. Os resultados definitivos do procedimento, por sua vez, tendem a aparecer um ano depois da cirurgia.

Indicações e contraindicações

O enxerto de gordura pode ser indicado considerando diferentes tipos de objetivos, não apenas estético, que é o principal. São eles:

Enxerto de gordura nos glúteos por agenesia: a agenesia é uma deformidade congênita, quando uma pessoa nasce sem uma parte do corpo, que compreende a área dos glúteos. Nesse caso, o procedimento é feito com a intenção de dar volume, corrigindo a assimetria.

Enxerto de gordura nos glúteos por deformidades adquiridas: o procedimento também pode ser indicado para corrigir deformidades, seja resultante de algum tumor, acidente ou retração pós-injeção. Dessa forma, o enxerto é feito como um preenchimento.

Enxerto de gordura nos glúteos para aumento estético: como dito, é a indicação principal do procedimento, tendo como principal objetivo deixar o bumbum mais empinado. Tendo em conta o risco, é muito importante que outras alternativas sejam levadas em consideração.

Contraindicações e riscos

Antes de tudo, é muito importante considerar as contraindicações do procedimento antes de recorrer à técnica.

Entre as contraindicações podemos citar casos em que haja a boa quantidade de gordura a ser aproveitada na lipoaspiração, casos em que não haja a indicação de lipoaspiração e que o paciente opte pela colocação de uma prótese de glúteo.

Quando feita diante contraindicações, o paciente fica suscetível a riscos, como a embolia gordurosa pulmonar, que é o bloqueio dos vasos sanguíneos por gotículas de gordura, e que causa dificuldades na respiração com a redução da oxigenação dos tecidos.

Estudos científicos relacionam o enxerto de gordura com uma lesão vascular, que permite a migração das células adiposas.

Feita nas condições erradas, o enxerto de gordura pode ainda levar ao óbito.

LEIA TAMBÉM: 10 dicas para manter seu pés saudáveis

antes e depois de enxerto de gordura no glúteos

O resultado é definitivo ou provisório?

Considerando que o enxerto é feito com um grupo de células de gordura determinado, os adipócitos, estruturas vivas e que se forem coletadas e separadas de forma correta, fornecem um resultado duradouro.

No entanto, caso ocorra um problema no processo de enxertia, as células não irão se manter vivas e logo serão absorvidas, não tendo um resultado definitivo.

Outro ponto é que uma vez que os adipócitos são injetados e o paciente sofre aumento de peso, o volume da gordura injetada nos glúteos também aumenta. Em condições inversas, em casos de emagrecimento, o volume do glúteo também irá diminuir.

Quanto custa o procedimento?

Por fim, o valor da lipoescultura é bastante variável. Além disso, vale considerar que o procedimento tende a ter um preço elevado, considerando a estrutura e a técnica necessária.

Com isso, o preço médio do procedimento fica de R$12.000 (doze mil reais) a R$27.000 (vinte sete mil reais). 

Similar Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.